((( Quem mexeu no meu iPod?)))
Quem Mexeu no Meu iPod?






6.12.17

Any Shuffle 99 I Need Something New

Share



"E depois que fazíamos os nossos desejos... Fechávamos nossos olhos com bastante força, desejando que na hora que eles se abrissem, tudo viraria realidade. E achávamos que quanto mais forte os fechássemos, mais forte nossos desejos seriam.
E mesmo que eles nunca virassem realidade, nós ainda gostávamos de fazer isso.
Porque o final nunca foi nossa parte favorita no fim das contas.
Era o desejo."
Mr. Robot

Baixe aqui (salvar arquivo como...)

01 The Antlers - It Seems Easy
02 Savages - I Need Something New
03 Kate Tempest - A Hammer
04 Slowdive - Sugar for the Pill
05 Heatmiser - Why Did I Decide to Stay
06 Courtney Barnett and Kurt Ville - Over Everything
07 Rialto - The Underdogs
08 Destroyer - Tinseltown Swimming in Blood
09 EMA - Down and Out
10 Animal Collective - Spirit They’ve Vanished
11 Tom Waits - You Can Never Hold Back Spring
12 David Bowie - It’s no Game (Part 1)

Ouça também no Spotify:

31.10.17

Any Shuffle 98 Día de Muertos VIII

Share



“Evil is always possible. And goodness is eternally difficult.”
― Anne Rice, Interview with the Vampire


Baixe aqui (salvar arquivo como...)


Intro: Dracula Welcomes You
01 Gerry and the Pacemakers - Don't Let the Sun Catch You Crying
02 Château Flight - Les Vampires Soundtrack (1, 2, 3)
03 Radiohead - We Suck Young Blood
04 Bauhaus - Bela Lugosi’s Dead
05 Siousxie and the Banshees - We Hunger
06 The Cure - The Blood
07 Pet Shop Boys - Vampires
08 Echo & The Bunnymen - People Are Strange
09 Jace Everett - Bad Things
10 Pearl Jam - Blood
11 The Misfits - Vampira
12 Dead Kennedys - Bleed For Me
13 Slayer - At Dawn They Sleep
14 The Birthday Party - Release the Bats
15 Marilyn Manson - If I Was Your Vampire
16 Artic Monkeys - Perhaps Vampires is a Bit Strong But…
17 Gorillaz - Dracula
18 Hot Blood - Soul Dracula
19 Ninos Du Brasil - No Meio da Noite
20 Vange Leonel - Noite Preta
21 Rita Lee - Doce Vampiro
22 Caetano Veloso - Vampiro
23 Sharon Van Etten - Every Time the Sun Comes Up
24 Goblin - Suspiria
25 Michel Rubini & Danny Jaeger - The Final Death (The Hunger)

Disponível também no Spotify:


Ouça também: Día de los Muertos, Día de los Muertos II, Día de los Muertos III, Día de los Muertos IV, Día de los Muertos V, Día de los Muertos VI e Día de los Muertos VII

11.9.17

Bliss | Uma playlist de Soul no Spotify

Share

Precisamos de um brilho para que o dia seja suportado. Precisamos de soul para dançar sentado. Precisamos de ritmo para requebrar e fazer bonito. Precisamos de êxtase, de dancinhas e gritinhos. E essa galera tem de sobra para nos ajudar. Once you go black, you can never go back.

28.8.17

Any Shuffle 97 2007

Share



2007 foi um ano bem foda para a música. Os números de download cresceram, fazendo com que a forma de como ouvimos música também mudou. Os mp3s players ficaram mais populares - fomos dos poucos MBs ao Giga em um pulo. E eu feliz com meus 512MB da Philips. Muitas músicas no bolso. E o Radiohead decidiu que você pagaria o quanto quisesse pelo In Rainbows (um clássico). E foi um ano musicalmente FODA para mim. Foi o ano que criei junto com o Givago Oliveira (um dos meus gurus musicais) o Quem Mexeu No Meu iPod (o blog só iria decolar no ano seguinte). Estávamos ouvindo tanta música boa que queríamos dividir com nossos amigos. Enfim nos tornamos digitais. Muitos Scrobbles no Last.fm. Mas foi também meu primeiro ano de festival de músicas. Meu primeiro festival internacional e foi logo para ver a Bjork (saudades Tim Festival). Descobri o eletrônico, fui pra pista de dança e aprendi a dançar. Espero que dancem comigo nesta mixtape animadinha.


Baixe aqui (salvar arquivo como...)

01 Chromatics - In The City
02 Glass Candy - Digital Versicolor
03 Justice - D.A.N.C.E.
04 Klaxons - As Above, So Below
05 Battles - Atlas
06 Simian Mobile Disco - Hustler
07 Digitalism - Pogo
08 Cassius - See Me Now
09 Chromeo - Fancy Footwoork
10 The Rapture - Get Myself Into It
11 The Go! Team - Ladyflash (Simian Mobile Disco Mix)
12 Yelle - Je Veux Te Voir
13 Dragonette - Jesus Doesn't Love My Anymore
14 Roisin Murphy - Overpowerred
15 Bjork - Declare Independence
16 Radiohead - Bodysnatcher
17 LCD Soundsystem - All My Friends
18 Panda Bear - Comfy In Nautica

Ouça também: 2005 e 2006.


19.7.17

Special Shuffle 11 Ctrl + Alt + Del

Share



No dia 16 de junho de 1997 o mundo da música sofreu um recente reboot. Depois de dois discos no embalo do rock alternativo britânico e mais palatáveis ao público (Pablo Honey, 1993 e The Bends, 1995), hits consagrados (Creep, Fake Plastic Tree, High and Dry), turnês de arena em inúmeros países, fazendo a abertura do R.E.M. e uma pressão dos fãs e das produtoras para algo novo, eis que surge OK Computer. Aclamado pela crítica como o melhor disco da banda de Thom Yorke, Jonny Greenwood, Colin Greenwood, Ed O' Brien e Phil Selway, o trabalho foi resultado da liberação criativa da parte da gravadora Capitol Records para a superbanda lançar o que quisesse.

O disco mostra o grupo Radiohead experimentando em diversos sentidos musicais com as estruturas das canções, processos de gravação (Thom Yorke chegou a cantar dentro de uma sala de vidro) e a incorporação de influencias ambient, avant garde e eletrônica - um verdadeiro compilado de referências que vão desde os Beatles, Bitches Brew, de Miles Davis até compositores contemporâneos como Ennio Morricone, famoso pelas suas trilhas sonoras de Western.

Comparado com "The Dark Side of the Moon" por alguns críticos, OK Computer foi escrito por Thom Yorke inspirado e observando a velocidade em que o mundo avançava nos anos 90. As letras com diversos pontos de vista e personagens são mais abstratas que seus trabalhos anteriores, como fragmentos de um diário nervoso, imagens de manifestações políticas, a angústia vivida nos subúrbios e abstrações sobre o tempo e espaço e pessoas enlouquecendo com o passar do rápido tempo. Soa atual? OK Computer profetizou o sentimento de uma geração que se arrasta por meio do consumo compulsivo, pressões de uma sociedade superficial e que demanda superficialidade dela mesma, além de uma sensação de neutralidade e falta de emoção.

OK Computer rendeu à banda sua primeira performance no Festival Glastonbury, diversos prêmios (entre eles um Grammy), clássicos como Paranoid Android, Karma Police e No Surprises, presença audiovisual fortalecida com clipes e um documentário sobre a turnê.

OK Computer é o som do rock sendo tratado como um vírus numa urgente necessidade para ser decodificado.


Baixe aqui (salvar arquivo como...)

Intro
01 The Beatles - Happiness is a Warm Gun (undubbed version)
02 DJ Shadow - Building Steam With a Grain of Salt
03 Joy Division - Day of the Lords
_Airbag
04 Pixies - Caribou
05 Queen - Bohemian Rhapsody
_Paranoid Android
06 Miles Davis - Pharaoh’s Dance
_Subterranean Homesick Alien
07 Ennio Morricone - Bambole
08 Johnny Cash - Dark as the Dungeon
09 Genesis - Aisle of Plenty
_Exit Music (for a Film)
10 Slowdive - Souvlaki Space Station
_Karma Police
11 George Harrison - Let it Down
_Let Down
12 The Beatles - Sexy Sadie
_Karma Police
13 Penderecki- Threnody for the Victims of Hiroshima (Edit)
_Climbing Up the Walls
14 R.E.M. - These Days
_Electioneering
15 The Beach Boys - Wouldn’t it Be Nice
16 The Velvet Underground & Nico - Sunday Morning
_No Surprises
17 Pink Floyd - Echoes (The Tourist Edit)
_Lucky, The Tourist


Ouça também no Spotify:


Ouça também:
Special Shuffle 07 Fake Plastic Shuffle com as influencias dos primeiros anos da banda em "Pablo Honey" e "The Bends".

5.6.17

Any Shuffle 96 Let's All Hope That This All End Up Soon - Part 4

Share





Baixe aqui (salvar arquivo como...)


I’ve heard this sound before. This voice. I’ve never heard it at my home. Never heard it on my room. This voice belongs outside. On the streets. The voice that carries me out. The voice without a face. The voice only. And it penetrates on my ears. Going down through my throat. I feel it weakening my gut. And then the silence. The haunting silence. And nothing. And the darkness. I feel the floor on my back. The ghosts from March are still here. And tomorrow everything will be repeated. Let’s all hope this all end up soon.


01 Michael Kiwanuka - Cold Little Heart
02 sir Was - In the Midst
03 Youth Lagoon - Highway Patrol Stun Gun
04 Ezra Furman - Haunted Head
05 Josefin Öhrn + The Liberation - Take My Beyond
06 Braids - Getting Tired
07 Goldfrapp - Faux Suede Drifter
08 Kid Koala & Emiliana Torrini - Nightfall Pale Blue
09 Magical Cloudz - Disappeared
10 Marissa Nadler - Hungry is the Ghost
11 Local Natives Ultralight Beam

Ouça também:
Part 1, Part 2, Part 3.




15.3.17

Favoritos 2016 | Filmes

Share




Em ordem alfabética.

A Bruxa
Inquietante e hipnotizante, A Bruxa é mais um filme de arte do que um de terror.


A Criada
Um melodrama de suspense erótico para ser degustado. Sempre violento, mas nunca gratuito, aqui Chan-wook Park (Oldboy) nos apresenta a uma violência diferente... uma violência entre o amor e o dinheiro. Filme praticamente perfeito.




A Chegada
Um quebra-cabeça lindamente polido e ambicioso que equilibra bem o emocional e o cerebral. E, como toda boa ficção científica, tem algo pertinente a dizer sobre o mundo de hoje. Especialmente sobre a importância da comunicação, e como precisamos transcender divisões culturais e erros se quisermos sobreviver como uma espécie. Amy Adams apaixonante!



A Paixão de JL
Documentário sobre os últimos anos de vida do artista plástico José Leonilson Bezerra Dias (1957-1993). A partir de 1990, o artista começou a narrar seus sonhos, rotinas e pensamentos num gravador. O resultado é uma narrativa singela, eficiente, sensível e puramente emocional.



Animais Noturnos
O que esperar de um filme do Tom Ford, um perfeccionista? Um elenco fudido (Amy Adams, Jake Gyllenhaal, Michael Shannon, Laura Linney), uma fotografia que parece ter sido tirada de um livro da Taschen, um roteiro bem articulado que mistura presente, passado e ficção e uma malícia sarcástica sofisticada! Imperdível!



Aquarius
Sincero, político, psicológico e tocante. Sonia Braga num papel denso e multi-facetado, onde ela mergulha majestosamente investindo dignidade e originalidade a personagem enquanto explora suas alegrias, falhas e tristezas. Um filme necessário e atual.
Capitão América: Guerra Civil
Um ótimo refresh que a franquia precisava e acima de tudo, divertido! O verdadeiro campeão aqui é o Team Marvel.


Deadpool
Um filme de super-herói pra galera do fundão - nunca se levando a sério, muito engraçado, violento, sacana e sagaz!


Depois da Tempestade
Um filme simples, mas nada simplista e bem sutil em seu charme e suas emoções - diferente do seu filme anterior Life Father, Like Son. O diretor Koreeda aqui explora os momentos honestos de seus personagens quando arranca suas coragens ao expressar seus desejos mais profundos, embora inatingíveis.






















   Elle
Provocador, ousado, perverso e erótico! Michelle mostra como defender a si mesma (e seus desejos) em grande estilo. Isabelle Huppert é a melhor!



Eu, Daniel Blake
Ken Loach conta histórias sobre o dia a dia como ninguém. E aqui não é diferente. Com sensibilidade e tristeza explora a austeridade burocrática e desumana dos governos enquanto o lado humano floresce na relação entre Daniel Blake e Katie. A estética neorealista e as lembranças labirínticas de Kafka só reforçam a indignidade do monstro que os condena.



Julieta
A tragédia grega e silenciosa de Almodóvar. Julieta é puro drama. Sóbrio, contido. Tão áspero quanto a vida.


Kubo e as Cordas Mágicas
Visualmente perfeito, super criativo e um pouco complexo! Fazia tempo que eu não ouvia uma história tão imaginativa!


Mapplethorpe: Look at the Pictures
O doc sobre o controverso fotógrafo fornece uma visão sem firulas e confidente sobre a vida e o trabalho deste gênio e sua implacável ambição. Mapplethorpe foi consumido pela fama em todos os sentidos e tudo e todos foram meios para um fim. O seu.


Moonlight: Sob a Luz do Luar
Lírico e delicado, a direção segue sem fim seu forte personagem por meio de silêncios de raiva e frustração que se transformam em intimidade. Maravilhoso.


O Apartamento
Mais low profile que seus filmes anteriores (A Reparação, O Passado), mas com um ritmo e uma tensão na qual ele é mestre. Uma narrativa que se constrói inquieta e persistente de impotência e paranóia. Um filme sobre abusos. Imperdível!



Other People
As emoções correm soltas aqui. Qualquer um que já perdeu algum parente, anseia por um amor ou aceitação, vai facilmente se identificar. Um filme fantástico. E Jesse Plemons (Fargo, Segunda Temporada) e Molly Shannon estão perfeitos



Poesia Sem Fim
O melhor de contar sua própria história no cinema é poder retratar visualmente da forma mais criativa possível e impossível, se tratando de Jodorowsky. Cheio de invenções livres, comédia surreal e emoções genuínas.



Rua Cloverfield, 10
A tensão é perversa, inteligente e divertida!


Sing Street: Música e Sonho
Praticamente impossível não gostar deste filme: boas músicas, ótimos diálogos, personagens irresistíveis e um charme a la John Hughes!


Wiener-Dog
Não é que não há humor ou alegria na vida. Há sim! Mas não se engane.
Mesmo quando é sensível, Todd Solondz é único. Ele não se preocupa com o conforto do público e seus filmes têm sempre um olhar cruel e intransigente, especialmente para a indústria dos finais-felizes. Solondz representa a realidade, ou a realidade dele. Seja ela hilária, absurda, fútil, miserável ou sensível.
Greta Gerwig, Danny DeVito e Ellen Burstyn estão maravilhosos!


Zootopia
Funciona dos dois jeitos: um exame oportuno e esperto dos preconceitos da sociedade e também uma ótima aventura engraçada com criaturinhas fofas e ótimos personagens!